Livro “Fábulas de Esopo” “Aesop’s Fables” – 25 – Volume I

THE HARES AND THE FROGS

T capitular

he Hares once gathered together and lamented the unhappiness of their lot, exposed as they were to dangers on all sides and lacking the strength and the courage to hold their own. Men, dogs, birds and beasts of prey were all their enemies, and killed and devoured them daily: and sooner than endure such persecution any longer, they one and all determined to end their miserable lives. Thus resolved and desperate, they rushed in a body towards a neighbouring pool, intending to drown themselves. On the bank were sitting a number of Frogs, who, when they heard the noise of the Hares as they ran, with one accord leaped into the water and hid themselves in the depths. Then one of the older Hares who was wiser than the rest cried out to his companions, “Stop, my friends, take heart; don’t let us destroy ourselves after all: see, here are creatures who are afraid of us, and who must, therefore, be still more timid than ourselves.”

Ouça o texto clicando na seta abaixo

(se não apareceu ou para pessoa com deficiência visual aqui)

 

AS LEBRES E AS RÃS

A capitular

s Lebres uma vez se reuniram e lamentaram a infelicidade de seu destino, expostas como estavam a perigos de todos os lados e sem a força e a coragem para defender a si próprias. Homens, cães, pássaros e animais de rapina eram todos seus inimigos, e as matavam e devoravam diariamente, e antes que suportar tal perseguição, cada uma e todas decidiram terminar suas vidas miseráveis. Assim resolvidas e desesperadas, correram em massa para uma piscina da vizinhança, pretendendo se afogar. Na borda estavam sentadas várias Rãs, que, ao ouvirem o ruído das Lebres enquanto corriam, de comum acordo pularam na água e se esconderam nas profundezas. Então uma das Lebres mais velhas, que era mais sábia que o resto, clamou para suas companheiras: “Parem, minhas amigas, tenham confiança; não vamos nos destruir afinal. Vejam, aqui estão criaturas que têm medo de nós, e que devem, portanto, ser ainda mais medrosas que nós mesmas.”

Ouça o texto clicando na seta abaixo

(se não apareceu ou para pessoa com deficiência visual aqui)

 

gofinho-voltar-amarelo<Índice>