Sobremesa para o irmão

Fui dormir tarde, mas não tenho o sono muito pesado, então acordei antes do sol, com minha mãe “batucando” na cozinha. Certamente estava preparando o café, já de cigarro na boca, e adiantando o almoço. Nunca perdeu estes hábitos, de acordar cedo e fumar. E o almoço também, que tinha que sair no horário.
Voltei a dormir, o barulho da cozinha se fundindo com meus sonhos. Vieram lembranças de infância, das brincadeiras entre irmãos, todos reunidos. A comida bem servida da mãe. Acordei com um sobressalto, pensando no almoço daquele sábado e lembrei que o João não viria comer conosco, estava viajando, aproveitando as férias da esposa.
Levantei sem muita coragem e na cozinha tomei um café lerdo, olhando dona Lorena indo pra lá e pra cá, lavando arroz, picando cebola, colocando a carne no forno e fazendo uma sobremesa. Um pudim. Imediatamente pensei no meu irmão mais novo, Rogério, que adorava a sobremesa.
Meio-dia e está tudo pronto. Observo a comida servida na mesa e minha mãe fumando, da porta olhando o portão, esperando.
– Vamos comer? – perguntei.
– Mas o ‘Gério não chegou…
– Ele não vem, mãe, você sabe. Ele não vem nunca mais. – respondi, segurando seu braço, puxando-a para a mesa – Apaga esse cigarro e come um pouco.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *